sábado, 12 de abril de 2008

Quem recicla, afinal?

Não é com espanto que li a matéria publicada em A Tribuna que aponta que cerca de 2% da população recicla o lixo em Santos. Por outro lado, houve um aumento na demanda este ano, conforme trecho da matéria publicada no último dia 10. A cidade produz em média 13.200 toneladas de lixo doméstico por mês.

Na opinião de André Vilhena, diretor executivo do Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), o problema é a falta de informação que a população tem sobre o programa de coleta seletiva. Mas Santos possui um número grande de cooperativas de catadores e ainda avulsos, o que faz com que Vilhena estime que o volume real de reciclagem seja cinco vezes maior que o oficial.

Leia trecho da matéria a seguir:

CRESCIMENTO

Somente no primeiro mês do ano, Santos registrou um aumento em torno de 41% no recolhimento de resíduos recicláveis. Em janeiro foram recolhidas 206,77 toneladas de material reciclável, contra 145,72 toneladas no mesmo período do ano passado. O número é o maior índice mensal desde a implementação do programa Coleta Seletiva.

Conforme o último balanço do Departamento de Apoio à Limpeza Pública (Deap), da Prodesan, em março foram coletadas 189,93 toneladas. No entanto, depois de passar pela Usina de Separação de Material, o peso líquido ficou em 151,30 toneladas.

Segundo Paulo Matsumoto, gerente do Deap, ‘‘tem muita coisa que vem e não é reciclável’’ — algo em torno de 20%.

Íntegra: http://atribunadigital.globo.com/bn_conteudo.asp?cod=350724&opr=103

Um comentário:

Denise BC disse...

Luz
Acho que realmente é por aí, falta informação para a população a respeito de coleta seletiva e reciclagem.
Não é só em Santos, no Rio de Janeiro a história se repete.
A educação ambiental sendo implementada nas escolas desde o ensino infantil, ajudaria muito na conscientização, pois criança ensina e cobra muito os adultos.
Bjs,
Denise BC