sábado, 10 de maio de 2008

3ª CNMA

Nesta semana, em Brasília, aconteceu a 3ª Conferência Nacional do Meio Ambiente (CNMA). Durante o evento, houve uma oficina dedicada aos jornalistas, para debater a cobertura do tema nos veículos de comunicação.

Conforme matéria do Portal do Meio Ambiente, o cientista político Guilherme Canela, coordenador de Relações Acadêmicas e Pesquisas da Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi), apresentou o estudo A Cobertura da Imprensa Brasileira sobre Mudanças Climáticas, resultado da análise de 50 jornais entre 2005 e 2007. Entre as conclusões, Canela destacou que o trato da mídia brasileira para o tema está fortemente vinculado às questões internacionais.

O estudo aponta três assuntos que dominaram 50% das matérias sobre o tema no período: efeito estufa, energia e conseqüências das mudanças climáticas. As expressões mais utilizadas foram aquecimento global (70,6%) e mudanças climáticas (29,4%) o que, segundo o especialista, demonstra que ainda há uma confusão conceitual entre os dois problemas por parte dos jornalistas. Os temas de mitigação e adaptação aparecem em 41,7% e adaptação (2,7%) dos textos. Apenas 3% das matérias cobram responsabilidade do governo no estabelecimento de políticas públicas para combater o problema.

Um comentário:

Caroline disse...

Luz,

estou promovendo uma blogagem coletiva, se puder participar me avise sim?!

Se não puder, assina a petição, é muito importante!

www.greenpeace.com.br/baleia