terça-feira, 31 de julho de 2007

Sacolas ecológicas vetadas em Sampa

A adoção obrigatória de sacolas plásticas ecológicas em São Paulo foi vetada pelo governador José Serra (PSDB). O projeto de lei 534/07, que determinava que os estabelecimentos comerciais utilizassem plástico oxibiodegradável (OPB), foi descartado. O veto foi publicado no Diário Oficial do Estado na última sexta-feira (27).

A obrigatoriedade está suspensa, mas o compromisso dos estabelecimentos com o meio ambiente não. O cidadão também faz sua parte levando de casa sua(s) sacola(s). Na Europa, paga-se pelas sacolas em supermercados e nos Estados Unidos escolhe-se a opção papel ou plástico e as grandes redes, como Publix, possuem usina de reciclagem, como o Pão de Açúcar, no Brasil.

Enquanto isso, no Paraná, a lei está em vigor desde 16 março deste ano. O processo foi impulsionado pela Fundação Verde (Funverde) no município de Maringá, naquele estado, como mostra o vídeo exibido no telejornal local da Globo (no site Folha Verde)

Conforme informações técnicas do Senai do Rio Grande do Sul, para a produção das sacolas oxibiodegradáveis é utilizado o aditivo d2w®, que atua fragilizando as ligações entre átomos e moléculas. Com isso, o produto torna-se sensível à luz solar, umidade, temperatura, e digerível por microorganismos presentes no meio ambiente. Inicia-se, então, o processo de degradação natural, em tempo reduzido de apenas 18 meses. O plástico comum, como o conhecemos, pode levar até 500 anos para se decompor, dependendo de sua densidade.

OBS. O parecer do veto pode ser lido no site da Imprensa Oficial. Basta escolher o dia (27/07/07) e no navegador do DO clicar na opção “Executivo – caderno1”. Para paginar, use as setinhas. O texto está na página 8.

Um comentário:

Rodrigo disse...

Acho que as sacolas de plásticos devem ser banidas mesmo, importante lembrar tbm daquelas chamadas nicroperfuradas que alguns supermercados utilizam para colocar pão, o que eu particularmente acho um absurdo, entendo que dessa forma a melhor solução seria os sacos de papel, porque quanto mais papel for utilizado, mais arvores serão plantadas para a fabricação da celulose, que ao contrario do que muita gente pensa a celulose que é a matéria prima do papel, é feita a partir de imensas florestas espalhadas pelo Brasil e não de arvores nativas como muitas pessoas imaginam.